[VN #9] Evilspeak (1981)

WP_20160719_16_31_41_Pro

A ideia era ver “Axe”, mas entretanto nas últimas semanas chegou a casa o Evilspeak então saltou uns passos na cadeia alimentar para ser o próximo video nastie.

Evilspeak foi lançado em 22 de agosto de 1981 no Japão, e 26 de fevereiro de 1982 nos Estados Unidos . O filme foi citado como um vídeo nastie no Reino Unido após seu lançamento na editora Videospace . O mesmo permaneceu banido por vários  anos , graças ao seu clímax sangrento e temas de satanismo. O filme foi reclassificado e re- lançado em 1987 , mas com mais de três minutos de cortes , que incluíram a censura da maior parte das cenas de sangue e todas as imagens de texto da Missa Satânica. Em 2004 foi finalmente aprovado e lançado sem censura, ficando hoje neste boa edição da 88Films.

Um cadete militar sofre de bullying constante dos seus colegas, um dia a cumprir um dos vários castigos em que é submetido durante o filme, encontra um livro onde aprende os básicos para um ritual satânico.

O filme demora imenso tempo a arrancar, a primeira hora do filme basicamente vemos Stanley Coopersmith(Clint Howard) a sofrer todos os tipos de humilhações possíveis e imaginarias. Após a primeira hora o banho de sangue começa e não há maneira de parar.

Evilspeak apesar de ser um pouco aborrecido em algumas partes, consegue ter uma ideia minimamente original, um computador que provoca rituais satânicos? Que provoca mortes com porcos? A parte final onde o banho de sangue acontece? Tudo bons momentos para um filme de 81/82, em que o satanismo estava em todas as casa e Eric Weston soube tirar proveito nisso.

A banda sonora também tem papel de destaque, por vezes repetitiva mas quem não gosta de ouvir “Satan” 10 vezes em menos de 1 minuto?

Anúncios

11. Riti, magie nere e segrete orge nel trecento… [1973]

riti_magie_nere_1973

Recentemente vi um filme do Rob Zombie de seu nome “Lords of Salem”, um filme que tinha uma história acima da média e que começou da melhor forma, mas após os primeiros 30 minutos o filme foi para uma miséria tão grande que foi provavelmente um dos  piores filmes de terror/horror dos últimos anos.  Mas infelizmente nos anos 70’s também se fazia maus filmes e Riti, magie nere e segrete orge nel trecento é um exemplo mais que flagrante de tal situação.

Recentemente alguém me disse que pelos primeiros 15 minutos de um filme consegue-se perceber se vamos ter um bom ou mau filme. Eu se tivesse seguido esse conselho nunca tinha acabado de ver esta película. Riti tenta juntar tudo o que se via nos filmes de terror dos anos 70’s com mais umas novidades, vai desde rituais satânicos, passando por vampiros, ainda com algumas raparigas nuas e para terminar as cores e as movimentações de câmara que o maestro Dario Argento tanto usou nos seu filmes. Mas Renato Polselli não é nenhum maestro, nem consegue que toda aquela mistura faça um bom filme, a história do filme se é que alguma vez chega a existir gira a volta de uma tentativa de ressuscitar Isabelle o grande amor de umas das nossas personagens, mas para isso é necessário sangue virgem. A partir dai tudo se torna numa confusão que vai desde o acompanhamento musical, as representações abaixo da média até ao clímax final que parece mais uma má viagem sobre efeitos de drogas alucinogénas. Ritti, não consegue nem chegar ao patamar “isto é tão mau que até consegue ser bom”, para mim nunca chega a sair da zona onde estão os maus filmes.

Nota: 4/10

Próximo filme: Zeder