Inverno Eterno [Música 90]

Existem poucas bandas como esta em PT.. Mas IE sobra e chega para ser algo maravilhosamente mórbido!

Arrepiante!

Anúncios

9. Nude… si muore [1968]

123Nude02

Depois de uma pausa para ver os velhos actions heroes em acção [Willis e Stallone] nos seu mais recentes filmes, voltei para o cinema de terror italiano.

Nude.. Si muore é realizado por Antonio Margheriti e por enquanto é o filme mais fraco de esta maratona. A história passa-se num colégio interno feminino onde começa por desaparecer/morrer uma estudante. Logo aqui sabemos que estamos perante mais um “giallo”, mas ao contrário do que mandam as regras este filme tenta colocar comédia junto com o suspense e o terror, e é por essa razão que ele acaba por se perder. Pois um “giallo” tem que ser um filme sério que mantenha o suspense do principio ao fim, algo que este não consegue fazer nem por 5 minutos, e  o final do filme é demasiado previsível para os espectadores mais atentos ao fim dos primeiros 10 minutos já sabemos quem é o principal culpado.

Nota: 5/10

Próximo filme: La notte che Evelyn uscì dalla tomba

Der Todesking [1990]

Por vezes vejo filmes que não falo no blog, não por serem demasiado comerciais, ou demasiado conhecidos.. simplesmente porque não existem palavras para os descrever.

Der Todesking encaixa perfeitamente nesse tipo de filme. Realizado por Jörg Buttgereit que tem no seu currículo um dos filmes que mais curiosidade devido aos imensos comentários que tenho visto sobre o mesmo  [Nekromantik]. Este filme conta-nos 7 histórias diferentes em 7 dias da semana em que lidamos com a morte, o suicido, a dor, a depressão. Admito que depois de tudo o que tinha lido pensava que o filme ia ser um pouco mais depressivo, mas destaco para uma das partes que mais me chocou durante a sua visualização. Os “intervalos” de cada episódio vamos vendo um corpo a entrar em decomposição.. e ai sim, verdadeiro terror/horror.

Funny fact – Em um dos episódios o dialogo é o mesmo que os Manes[banda de metal norueguesa] usaram numa música do meu álbum favorito deles “Vilosophe“, reconheci logo ao fim da primeira frase..

Nota – 6/10