6. Danza Macabra [1964]

danza_macabra_fmex

Danza Macabra volta a mostrar que o terror gótico é talvez umas das melhores fases que o cinema de terror teve durante a sua história. A beleza de este filme é demasiado grande para se descrever em poucas palavras, se tal tivesse que acontecer diria só “Vejam já!”.

Realizado segundo o imdb.com por Sergio Corbucci[o senhor que está por trás de Django] e Antonio Margheriti este filme conta-nos a história de um jornalista que após fazer um entrevista a Edgar Allan Poe recebe uma proposta tentadora do Lord Thomas Blackwood, que aposta com ele que não consegue passar uma noite no seu castelo na “Noite dos Mortos”, como qualquer curioso aceita sem qualquer problema.

Ao inicio o filme vai avançado calmamente deixando sempre o espectador sobre aviso para o que pode vir acontecer, quando a bela  Elisabeth Blackwood[Barbara Steele] aparece ao nosso jornalista Alan Foster começas-se a desvendar um pouco da história, que nos conduz para uma espiral de paixão, vingança e acima de tudo de muito suspense.

A minha cultura cinematográfica em relação ao terror gótico não é enorme, mas sem dúvida que este filme deixa uma importante marca.E talvez seja um dos melhores que vi até hoje.

Nota: 8/10

Próximo filme:La casa dalle finestre che ridono

Anúncios

Hellraiser: Inferno [2000]

POSTER - HELLRAISER ‡5‡ INFERNO

História: Um detective da polícia envolve se  num mundo estranho de assassinatos, sadismo e loucura depois de lhe ser atribuído uma investigação de assassinatos cometida por um louco apenas conhecido como “O Engenheiro”

Review: Ao quinto filme HellRaiser não tem o privilégio de ir para os cinemas, vai directamente para o mercado de vídeo. Felizmente para os fãs de Pinhead. Já tinha lido em alguns sites da especialidade que a partir do 4 deixava de ser a saga HellRaiser e passava simplesmente a ser um uso e abuso da imagem do nosso vilão favorito. Infelizmente essa ideia veio-se a provar, HellRaiser: Inferno tenta dar novo sangue a saga, mas acaba por se tornar um filme mediano por culpa do realizador Scott Derrickson[que recentemente lançou nos cinemas o filme Sinister]. Tentou ao inicio fazer um filme com toques de noir, depois quis passar para um thriller psicológico, a meio do filme já era terror e para o final acaba novamente em thriller. Tenho que admitir que o final está bem construído que é sem dúvida o ponto alto do filme, mas o resto do filme é simplesmente mau. Pior que a própria realização só mesmo o desempenho do protagonista o Detective Joseph Thorne [interpretado por Craig Sheffer], um erro de casting em todas as formas e feitios.

Este filme é uma nódoa no currículo de Hellraiser, enquanto o filme anterior deu novas ideias para a história para manter o interesse, este simplesmente aproveita-se do sucesso dos filmes anteriores.

Nota: 5/10

HellRaiser IV: Bloodline [1996]

POSTER - HELLRAISER ‡4‡ BLOODLINE (alternate)

História: No século 22, um cientista tenta criar uma solução para destruir a caixa de quebra-cabeças que abre as portas do Inferno e liberta Pinhead e suas legiões Cenobitas.

Pseudo-Review: Mais um hiato de 4 anos para o nosso Pinhead, e tal como Jason Voorhees também ele chega ao espaço. Pior filme que o capitulo anterior seria impossível. A realização foi entregue a Kevin Yagher e Alan Smithee que ao contrário do realizador anterior não faz close ups a cara do Pinhead de 5 em 5 segundos do filme, já o argumento ficou nas mãos de Peter Atkins. Este capitulo foca a origem da caixa que é utilizada para abrir as portas do inferno. Mais um filme que não chega a ser de terror, e o gore começa a ser uma miragem, um filme que tenta apostar mais na história que acaba por ser um pouco maçadora e previsível. Acaba por ser um capitulo interessante onde ficamos a conhecer um pouco mais sobre o mundo Hellraiser mas muito longe do Hellraiser 1.

Nota: 5.5/10

Hellraiser III: Hell on Earth [1992]

POSTER - HELLRAISER ‡3‡ HELL ON EARTH (alternate)

História: Uma repórter investiga um caso relacionado com Pinhead, aos poucos vai descobrindo mais sobre o mesmo, e vai tentar envia-lo de volta para o seu inferno.

Pseudo-Review: Conforme tinha dito no filme anterior o Hellraiser II dava a entender que a saga HellRaiser tinha sido fechada para sempre.

Infelizmente não foi o que aconteceu, quarto anos depois Pinhead está de volta para mais um capitulo. E que capitulo mais frustrante, tudo o que não se quer ver num filme de terror aparece em HellRaiser 3. Más interpretações, vilão adulterado de tal forma que fica irreconhecível, explosões a fazer lembrar mais um filme de acção que terror e para não faltar mesmo nada, novos Cenobitas que devem ser os piores de sempre.

HellRaiser 3 é daqueles filmes que não consegue dar satisfação em momento nenhum, depois de dois filmes dentro do bom para um filme de terror, este simplesmente é uma nódoa.

Veremos o que Hellraiser 4 me vai reservar, mas pior que este penso que seja impossível.

Nota: 4.5/10

Maratona: HellRaiser

Este slideshow necessita de JavaScript.

Começo aqui a nova saga de filmes de terror conforme falei no dia que terminei o Childs Play. Hellraiser foi o escolhido, grande falha na minha carreira de cinéfilo que adora filmes de terror, mas ao contrário do Childs Play não vou ver todos os filmes de seguida. Sei que já disse várias vezes por aqui que não tenciono falar de filmes mais conhecidos, mas não tinha grande lógica falar de Hellraiser e saltar os dois primeiros filmes, sendo assim dou o meu pontapé de saída com esses dois..

Hellraiser 1 [1987]

História: Uma esposa infiel encontra o “zombie” de seu amante morto, que está  e ajudo-o a rejuvenescer antes que os demônios descubram que ele escapou do seu inferno sadomasoquista.

Pseudo-review: Hellraiser 1 faz parte do “boom” do cinema de terror dos anos 80. Os grandes slashers apareçam nesses anos gloriosos para o cinema de terror. Clive Barker deixou também a sua marca, não com um slasher clássico mas sim com um filme de gore e terror mais psicológico, mas sem dúvida deixou uma marca.
Hellraiser começa logo num ritmo alucinante, ainda não tinham passado os 10 primeiros minutos de filme e já tinha levado com um espectáculo de gore totalmente convincente, com uma maquilhagem que ao longo do filme será o seu maior trunfo, que excelente trabalho que fizeram para este filme.
Interessante ver que ao contrário dos slasher de esses gloriosos anos, Pinhead aqui não tem um papel principal, fazendo a sua grande aparição já o filme ia a meio. Brutal, sanguinário e com Pinhead e o seus cenobitas a deixarem logo a sua marca de inicio, Hellraiser 1 é sem dúvida uma exclente forma de começar esta saga.

Nota: 8/10

HellRaiser 2: Hell Bound [1988]

História: Kirsty é trazido para uma instituição após a morte de sua família, onde um médico obcecado pelo mundo do oculto ressuscita Julia e liberta os Cenobitas mais uma vez.

Pseudo-review: Como todos os grandes sucessos óbvio que tinha que haver um sequela para o Hellraiser. Os primeiros minutos de filmes são simplesmente flashbacks do filme anterior, se não tivesse visto o primeiro, não ia fazer grande diferença pois o essencial é contado logo no inicio do segundo filme.
Passou-se pouco tempo desde que Kristy assistiu a morte da sua família, agora está internada num hospício, onde encontra um médico interessado no caso dela. O Dr.Philip Channard estudava já a muito tempo o mundo dos Cenobitas e as suas formas de abrir portas para o  inferno dos mesmos, ao saber do caso da sua paciente ressuscita Julia e temos 40 minutos de filme que são quase tirados a papel químico do primeiro filme. Posteriormente Kristy e Tiffany a rapariga que consegue resolver o enigma da caixa para entrar no inferno dos cenobitas e vão explorando os recantos, a fazer lembrar um pouco os ambientes do Pesadelo em Elm Street. Este filme mostra-nos o nascimento de Pinhead e os seus cenobitas que acaba por ser uma desilusão pelo menos para mim.. O filme o termina de forma a encerrar a saga Hellraiser mas todos sabemos que os filmes de terror não acabam assim e  os imensos filmes que apareceram posteriormente vieram provar o contrário.

“No,It is not hands that call us. It is Desire” *

*Curiosidade: A banda portuguesa Desire inicia o seu albúm Locus Horrendus – The Night Cries of a Sullen Soul com a frase do Pinhead.

Nota: 6/10