Curtas e Quentes II

curtas 3.png

Como qualquer bom filme de sucesso a sequela está sempre a espreita, depois de a primeira edição das Curtas e Quente, chega directamente de várias partes do mundo, o Curtas e Quentes II.

The Town That Dreaded Sundown: Os slashers nasceram com Halloween? Os anos 80’s conseguiram aperfeiçoar os mesmos, mas então o que podemos dizer de este filme que já tinha essa génese dentro de si? Um rascunho do que se viria a tornar o cinema e terror dos anos 80, mas aqui não temos um slasher tradicional, temos sim um filme quase em forma de documentário para contar uma história real. O filme tem suspense momentos de comédia para aliviar a tensão, The Town That Dreaded Sundwon cumpre tudo o que prometeu. Não deslumbra mas também não se compromete a dar um final satisfatório ao espetador. Mesmo com pouca visualização ou conhecimento não escapou ao clássico remake, logo a sua marca foi deixada.

La Polizia Chiede Aiuto aka What Have They Done to Your Daughters?: Shameless Screen Entertainment pode até andar mais morta que viva, não lança um filme já há algum tempo, mesmo que algumas noticias apontem para algumas novidades para o novo ano, até agora não surgiu nada de concreto.Mas até que se decidam a fazer algo, é sempre bom vasculhar pelo catalogo extenso que nos oferecem, este filme em concreto foi-me oferecido devido a uma duplicação. Logo fui totalmente as escuras sem saber com o que contar.

Os primeiros 5 minutos são um pouco amadores, a cena inicial onde temos um manequim enforcado a fazer-se passar por uma rapariga prometia um filme B daqueles há moda antiga, mas aos poucos o filme foi ganhado mais história, misturando com sucesso dois estilos muito italianos o giallo com o policial.

Curioso uma das personagens ser um motoqueiro algo que já tinha aparecido do meu mais recente “post” Nightmare Beach, o filme aguenta bem a sua história até ao final, deixo destaque para a cena do parque de estacionamento, alguns momentos do filme são bem amadores, mas numa altura que se faziam filmes em Itália como pão quente é de louvar que este tenha conseguido sobreviver ao tempo, se forem fãs de Massimo Dallamano, que tinha já deixado uma boa impressão com ‘What Have They Done To Solange?, corram para este filme, se encontrem a versão da Shameless a um bom preço comprem, mas pré aviso que a cópia em si deixa muito a desejar chegando ao cúmulo de misturar dobragem em inglês com legendas.

The Cat o’ Nine Tails: Tinha comprado o blu-ray da arrow já a meia dúzia de meses, mas como sempre outros filmes foram subindo na escada, recentemente decidi finalmente dar um oportunidade a segunda longa metragem de Argento, infelizmente por muito que queira não me consegui-o fascinar, tem alguns momentos agradáveis, mas ao mesmo tempo tem também muito “encher chouriços”, já para não falar na cena de sexo mais ridícula na história do cinema. O filme salva-se pelo grande papel que Karl Malden faz mas isso nunca será suficiente.

Fascination: Li recentemente que qualquer fã de terror, acaba mais tarde ou mais cedo a bater na porta de Jean Rollin. Eu nunca procurei nada sobre o mesmo, mas numa conversa de café com um amigo ele falou em no Fascination e a sua forma de arte pouco convencional para os dias de hoje. Pedi-lhe o DVD emprestado e abri a mente ao mundo de Rollin, abri as minhas portas aos filmes eróticos com toques artísticos.

Rollin parecia ter uma ideia definida para o seu filme os primeiros minutos mostram o seu plano, mas talvez com medo de perder os seus espetadores com longos planos “made in europa”, mostra-nos os primeiros seios logo 10 minutos depois da abertura do filme e partir dai a nudez feminina entra sem aviso em qualquer cena. Longe de mim me chatear com isso, mas provavelmente um bocadinho mais de história ou mesmo se tivesses persistido mais na ideia que tinha nos primeiros minutos o filme foi-se mais satisfatório, de qualquer das formas Brigitte Lahaie rouba o filme em todo o momento que aparece no ecrã, e mostra-se bem a vontade para andar a mostra-se nua sem qualquer complexo, claro que o destaque vai para a parte da “morte”. Rollin pode não ser tão artístico como o querem pintar, mas também não é um caso perdido.Álias já ando a procura do seu outro clássico “Grapes of the Death”.

4621.original

Killing Zoe [1993]

killing-zoe

Killing Zoe é um filme realizado e escrito por Roger Avary, este senhor esteve envolvido na elaboração do argumento para os filme Pulp Fiction e ainda colocou uns diálogos no Reservoir Dogs.

O filme conta-nos a história de Zed[Eric Stoltz] que viaja até Paris para participar num assalto a um banco, antes de começar o seu trabalho contrata o serviço de um prostituta que por coincidência mais tarde acaba por estar a trabalhar no banco que ele ia assaltar.

Killing Zoe não é nenhuma obra-prima, e não é por ter Avary na direcção e argumento que o faz um filme bom, nunca passa do razoável, os diálogos são sem dúvida parecidos com os filmes do Quentin T. mas as comparações ficam-se por ai.

Os primeiros 40 minutos de filme são o momento mais alto, uma viagem ao submundo das drogas em Paris, uma viagem alucinogénia com uma banda sonora que acompanha na perfeição as imagens e situações do filme.

Posteriormente torna-se num filme de assalto de bancos normal que já se viu em diversos filmes, o assalto acaba mal, e Zed tem que escolher entre continuar com os companheiros no assalto ou salvar a rapariga que encontrou no inicio do filme, após isso acontecem algumas cenas de acção e pouco mais se acrescenta ao filme. Deixo a nota de destaque para o actor francês Jean-Hugues Anglade que aqui interpreta Eric o melhor amigo de Zed, a sua personagem é totalmente bipolar.

Avary depois de este filme ficou muito tempo longe do cinema voltando só a realizar um filme em 2002. Esteve ligado a alguns argumentos antes de 2002 mas acabou sempre fora dos créditos. Se virem este filme não esperem que seja algo parecido com um Pulp Fiction, ou outro filme do Quentin T, pois Avary soube manter a sua identidade e não cair na cópia fácil que seria sem dúvida o caminho mais óbvio.

Nota: 6.5/10