Jigoku de naze warui [2013]

MV5BNTQ0Njc3ODkyMl5BMl5BanBnXkFtZTgwODQxOTE4MjE@._V1_SY317_CR0,0,214,317_AL_Quando acabei de ver Jigoku de naze warui  a minha primeira reacção foi “Shion Sono é um mestre”, ele que já me tinha surpreendido com o Cold Fish filme que falei aqui no blogue há uns tempos atrás, e mais recentemente com o Tokyo Tribe uma mistura de The Warriors com hip hop.

Mas Jigoku de naze warui é talvez um dos seus melhores filmes, pelo menos daqueles que já vi dele, que diga-se de passagem não são assim muitos..

Jigoku de naze warui começa logo com uma abertura violenta, uma criança chega a casa, onde se encontra com um assassino, há volta de uma poça de sangue enorme, mas ela na sua inocência de criança não consegue compreender o que se passa, então lida com a situação de uma forma hilariante, aqui está dado o pontapé de saída para duas horas de pura magia.

Mas se ainda tivessem dúvida que estão perante um filme que vos vai ficar na memória para sempre, esperem até aparecer os Fuck Bombers! um grupo de adolescentes que tem como sonho fazer o melhor filme do mundo! Viciados em cinema e sempre com as câmaras na mão a procurar de situações para filmar, acabam por levar o filme para outro nível.

Quando 10 anos mais tarde finalmente tem a oportunidade de o fazer por um momento do acaso (não me vou alongar muito para não estragar nenhuma surpresa) tudo o que sonharam simplesmente acontece, aqueles 20 minutos finais são de uma anarquia deliciosa, o único defeito que aponto-o ao filme será mesmo o uso de sangue em CGI, mas um filme que com duas horas não tem um momento morto merece um estatuto de culto. Obrigado Mr. Sono encontraremos-nos outra vez.

Curtas & Quentes – 2015

curtas

Com o outono a chegar, chega as “castanhas quenteeeesss e booassss”. Aqui no Alucard’s Corner como não há castanhas e tempo para muito mais que isto ficam aqui as minhas mais recentes visualizações.
Musarañas: Filme espanhol que esteve no Motelx de este ano, mostra-nos que fazer filmes influenciados mesmo que não directamente em grandes escritores como Stephen King e mais precisamente no livro Misery, não precisa de ser um coisa má. Pode-se fazer a mesma coisa muitas vezes desde que se saiba usar outros elementos, Musarañas passa esse teste sem qualquer dificuldade. Recomendado!

The Editor: Argento.. Fulci.. Giallos.. Filmes italianos maus.. The Editor tem isto tudo e muito mais, se os americanos todos os anos lançam “spoof movies”, Astron 6 o estúdio responsável pelo Father’s Day, não quis ficar atrás mas mostra-nos que é possível fazer um filme de comédia sem precisar de recorrer as mesmas piadas de sempre. Se forem fãs dos grandes diretores italianos dos anos 70/80 este filme é para vocês!

Knock Knock: Eu sempre achei o Eli Roth um realizador sobrevalorizado, até hoje não vi nenhum filme dele que me enche-se as medidas.. Este Knock Knock foi a gota de água, começando pelo Keanu Reeves que coitado não sabe representar..não há volta a dar. Em relação as “jovens” do filme são sempre bem vindas quando aparecem em trajes menores, mas se quisesse ver um filme erótico barato, voltava aos tempos da TVI nos anos 90 que davam aqueles filmes interessantes as tantas da noite..

The Final Girls: Gosto de filmes de terror/comédia, acho sempre piada a um filme assim se for bem desenvolvido, este tem com pano de fundo o Sexta Feira 13 e com toques do Último grande herói , nos primeiros 5 minutos de filme fartei-me de rir depois começa-se a caminhar para um drama meio lamechas mas mantêm qualidade até ao final. Um filme que tem sem dúvida um público alvo mais adolescente, mas também aquela malta fã dos slashers.

[Especial Motelx 2015] 3 & 4 – Everly [2014] & Burying the Ex [2014]

motelx_everlyApesar de ser a época de Natal, o mundo de Everly desaba defronte dos seus olhos. Depois da acompanhante de luxo decidir virar-se contra o seu chefe mafioso Taiko e tornar-se informadora para a polícia. Taiko reage, prometendo oferecer recompensa a quem matar Everly e a sua família.
Rapidamente, todos os criminosos da cidade querem tentar a sua sorte. Todas as capacidades de Everly serão agora postas à prova, neste ataque quase interminável de assassinos à sua pessoa. O realizador de «Wrong Turn 2» e «Knights of Badassdom», traz-nos agora um filme que junta terror com acção altamente estilizada, numa história que, apesar de se passar quase toda num apartamento, não poupa nas mortes e no sentido de humor negro. One woman show da quase cinquentona Salma Hayek.

Sexta-feira, 11 Setembro 2015
00h15 Cinema São Jorge ,Sala Manoel de Oliveira

 

Estava familiarizado com o trabalho de Joe Lynch na série Holliston nem fazia a mínima ideia que já tinha realizado filmes antes, logo fui totalmente de mente aberta para este filme,

A história como está descrita na sinopse é prática e simples, os primeiros 30 minutos de filme são demolidores em termos de acção, tiros e sangue mas num festival dedicado ao terror não percebo onde o filme de poderá enquadrar pois ele não existe em parte nenhuma,

Com alguma perda de gás depois da primeira meia hora, o filme parece por vezes tentar dar um toque “Tarantino” naquelas tentativas de prestar homenagens a outro tipo de filmes, por exemplo saltou-me logo a cabeça o Lady Snowblood.

Salma Hayek continua igual a si própria, certamente que não está neste filme pela sua qualidade como actriz, duvido que o filme vá ter grande aceitação no festival.

motelx_burying_the_ex1Max é um tipo simpático que trabalha numa loja de adereços de Halloween. A sua belíssima namorada, Evelyn, é uma eco-activista que lhe dá pouco espaço de manobra. Cometem o erro de irem viver juntos, o que torna Evelyn numa pessoa ainda mais manipuladora. Max apercebe-se que cometeu um erro, mas há um problema: ele tem pavor de acabar a relação com ela. O destino intromete-se e Evelyn morre num acidente, deixando Max solteiro e disponível. Entretanto conhece Olivia, que é muito parecida com ele e pode muito bem ser a sua alma-gémea. Só que Evelyn, mesmo morta, não vai desistir assim tão facilmente.

Cinco anos depois de «The Hole», o Mestre do Terror Joe Dante regressa ao género que conhece como ninguém: a comédia romântica de terror.

Quinta-feira, 10 Setembro 2015

19h15 Cinema São Jorge ,Sala Manoel de Oliveira

Falar de Joe Dante é relembrar toda a nossa infância e filmes como Piranha, Howl mas para mim principalmente de Gremlins, quem não se lembra das três regras que não podem ser quebradas, naqueles bonecos “fofos” que se tornavam diabólicas para o meio do filme, dá sempre aquela sensação de nostalgia.

Ver Joe Dante a fazer filmes como Burying the Ex só pode ter uma justificação, pagar as contas ao final do mês. Este é daqueles tipo de filmes simpáticos que até nos fazem sorrir em algumas partes, mas nunca passam nisso, provavelmente daqui a uns anos até o vamos ver a passar num canal televisivo numa tarde perdida no meio de uns programas de verão,

A história de uma namorada morta voltar a vida, fez-me logo lembrar o Life After Beth um dos filmes mais penosos que vi o ano passado. Burying the Ex consegue ser melhor que o filme anterior a milhas, mas não o faz um bom filme, simplesmente não vai deixar marcas a menos que a Alexandra Daddari tivesse mostrado novamente algo mais como fez no True Detective,

Se conseguirem passar os primeiros vinte minutos e sobreviverem a irritante personagem Max são capaz de ter um filme que entretém, mas no final do dia não faz mais que isso.

Life After Beth [2014]

trailer-fo-the-zombie-comedy-life-after-beth-with-aubrey-plaza

Sinopse :

Zach está inconsolável devido à inesperada morte da namorada, Beth. Quando esta regressa miraculosamente à vida, Zach quer aproveitar ao máximo esta segunda oportunidade que o destino lhe concedeu. Mas a “nova” Beth não é bem a pessoa que era anteriormente, e a vida de Zach não vai propriamente melhorar.
 
Esta primeira obra de Jeff Baena, co-argumentista de «I Heart Huckabees» de David O’Russell, e que conta com as presenças dos veteranos John C. Reilly e Paul Reiser no elenco, teve a sua estreia mundial na última edição do Festival de Sundance.

by Motelx 2014

Durante este fim de semana está a ocorrer em Londres o Fright Fest, muitos dos filmes que estão em exibição neste festival, irão estar em Setembro da edição do Motel x 2014, acredito que a organização ainda esteja a negociar mais alguns filmes para finalizar o seu cartaz, mas como em todos os anos o anúncio final demora demasiado..

Enquanto o cartaz final não está definido por aqui continuo a tentar acompanhar aqueles que já foram anunciados, depois do Stage Fright trago hoje o Life After Beth mais uma ante-estreia que provavelmente nunca chegaria a Portugal no circuito comercial.

Life After Beth tal como o Stage Fright não se pode considerar um filme de terror, vamos englobar naquele género de comédia zombie que infelizmente para mim não tem grandes hipoteses de sucesso devido claro a minha irritação por zombies.

O filme foi realizado com um orçamento pequeno mas não é por ai que ele falha, é mesmo na falta de definição do mesmo, se era para ser um comédia falhou pois são poucas as partes que nos vão fazer esboçar um sorriso, se era para ser um drama sobre a perda de um ente querido também falha.

Mas o que talvez mais me tenha irritado do filme é a própria Beth [Aubrey Plaza], adoro o trabalho que ela faz na série “Parks & Recreations” mas no filme parece quase um cópia da mesma personagem que já vimos nas ultimas 7 temporadas.

Life After Beth é um tiro ao lado, com alguns momentos interessantes mas no geral não consegue cumprir o que prometeu.

1389 – Eillieon bikini(aka Invasion of the Alien Bikini) [2011] – Especial MOTELX

Sinopse: Quando cai a noite Young-gun coloca o seu bigode estilo porno anos 70 e patrulha as ruas da cidade, um dia salva a bela Mónica das mãos de um grupo de rufias, e leva-a para casa. Monica diz que quer ter sexo com ele, mas o nosso herói prometeu-se manter-se “casto” (excertos retirados do site do Motelx 2012)

Pseudo-Critica: Quando um filme de baixo orçamento consegue ter mais piada que essas comédias da moda algo só pode estar errado. Infelizmente está errado para o Ocidente, pois Young-doo Oh(realizador) fez um trabalho de fazer corar muita gente. Com uma mistura enorme de estilos num só filme desde o fantástico, ao drama passando claro pela comédia e até chega a ter momentos de soft-porn, Invasion of the Alien Bikini é um filme para rir e divertir, não para ser levado a sério. Este e daqueles filmes que não precisa que ninguém diga se é bom ou mau, simplesmente é vê-lo!

Nota – 7/10

Tripla Dose(Hak se wui;Roger Dodger;Them!)

Houve uma altura que vi alguns filmes do Johnnie To um homem com mais de 50 filmes realizados é difícil saber quais os melhores para ver, tinha visto pelo menos uns 4 razoáveis, logo encontrei este filme numa promoção manhosa, numa loja manhosa decidi comprar.

Election conta-nos a história das tríades de Hong Kong que tem de escolher um novo líder, essa escolha cai entre dois homens, um mais inteligente e calmo, e um mais violento.

Johnnie To até pode ser muito bom realizador, e ter algumas ideias muitos boas, mas após ver 5 filmes dele a história parece que volta sempre ao mesmo, parece que estamos sempre perante uma luta contra o tempo. Logo este filme pode servir de um bom começo para quem não conhece este realizador, para quem o conhece já sabe com o que pode contar.

Como li numa critica, esta frase assenta bem neste filme “O padrinho asiático”, só com uma qualidade um pouco mais abaixo da média.

Nota – 6.5/10

http://www.imdb.com/title/tt0434008/

Ultimamente os meus filmes centram-se em terror/suspense/thriller, ontem para variar um pouco decidi ver um comédia.

Roger Dodger tem uma sinopse totalmente de filme para adolescentes, Um sobrinho decide vir a Nova Iorque visitar o tio que tem fama de ser um “mulherengo” para o ajudar com as miúdas e ter relações sexuais.

Já pensava que isto ia cair na clássica comédia cheia de situações a moda do “american pie”, mas para  grande surpresa minha não foi o que aconteceu, estamos perante um comédia muito interessante com conteúdo e diálogos muito bem construídos. Campbell Scott faz aqui um excelente papel e o jovem Jesse Eisenberg faz o seu papel normal com a suas caras normais e movimentos normais(o ponto mais fraco do filme este rapaz parece que todas as personagens são iguais).

Aconselho sem qualquer dúvida esta comédia, pois as vezes é difícil encontrar algo que não caia nos piadas fáceis e habituais.

Nota – 8/10

http://www.imdb.com/title/tt0299117/

Quando acabei de ver o Them fiquei satisfeito, um filme de 1954 de ficção cientifica, ainda por cima com uma ideia e uma história bem construida.

Este filme foi realizado na época da guerra fria, e utiliza bem o medo atómico que se vivia naquela altura para fazer a história de este filme. No local onde foram efectuados os testes atómicos, passado 8 anos aparecem pessoas mortas de uma maneira muito estranha, descobre-se que as formigas foram afectadas pela energia atómica e assim sofreram uma mutação que as levou a ficar gigantes.

Um excelente filme de ficção cientifica que peca pelo final meio “abrupto”, talvez sendo mesmo o ponto mais fraco.

Aconselho este filme a pessoas que gostem de ficção cientifica mais antiga, claro que se vão a espera dos melhores efeitos especiais da história do cinema, é melhor irem para o cinema.
Nota. 7/10

http://www.imdb.com/title/tt0047573/