[VN #4] La casa sperduta nel parco (1980)

WP_20160219_16_26_39_Pro

Quando se fala em video nasties temos que obrigatoriamente falar de Ruggero Deodato. Ele e provavelmente Fulci devem ter a maior parte dos filmes nessa lista. Hilariante que se fosse nos dias de hoje, haveria mil e uma maneiras de fazer filmes de este tipo sem cortes ou censuras.

Este versão da Shameless ainda hoje não se encontra completa! Mas nada comparado com as mutilações que o filme tinha sofrido anteriormente. Começou logo por ser rejeitado em 1981, após os “loucos” anos da lista dos nasties em 2002 foi finalmente lançado em Inglaterra mas com 11 minutos e 43 segundos cortados!! Ou seja qualquer acção de violência física e sexual foi retirada do filme, em 2011 quase que passou finalmente sem censura mas ainda não é possível ver um mamilo a ser cortado o que equivale a 42segundos do filme.

Ruggero Deodato quando teve o acesso ao argumento escrito por Gianfranco Clerici & Vincenzo Manino achou que o filme era demasiado violento, algo estranho visto que ele próprio estava habituado a este tipo de filmes.

O argumento pode-se considerar um cópia do filme do Wes Craven The Last House on the Left, usando até por exemplo o mesmo vilão David Hess, ele que até defende o filme acabou por dizer algo que acho que assenta que nem uma luva nesta discussão que pode surgir se estamos a assistir a um cópia barata ou um remake, ele disse que o The Last House on the Left seria mais um filme mais baseado num grande espaço numa floresta, num espaço mais amplo, enquanto esta versão estamos mais a olhar para o terror na cidade, um terror urbano.

Existem algumas diferenças de argumentos entre eles, mesmo que pouco me lembro do filme de Craven, neste filme os nossos vilões são convidados para uma festa de alta sociedade. Ao contrário do filme do Craven que os nossos vilões acabam na casa da família da vitima por mero acaso.

House-on-the-edge-of-the-park-1-300x160

No inicio do filme parece que vamos ter uma sátira as classes sociais, onde os ricos aproveitam-se dos pobres para seu próprio entretenimento, mas Alex (David A. Hess) mas Alex tem uma diferente ideia para diversão. E a partir daqui começa um jogo de violência e perversão, onde se consegue perceber facilmente porque este filme acabou numa lista de “nasties.”

David Hess acaba por fazer um papel quase igual ao do filme do Wes Craven mas por vezes as caras exageradas dele tiram um pouco a tensão ao filme, Deodato  consegue construir um filme claustrofóbico em diversas situações, mas também situações completamente hilariantes. Os diálogos do filme por vezes parecem saídos de um porn movie dos anos 70.

Destaque para a cena entra Alex (David Hess) e a belíssima Lisa  (Annie Belle) que na altura fique com a impressão que aquilo não seria representação, e numa entrevista David acabou por confirmar as minhas suspeitas.

house_edge_02

O filme acaba com um twist final agradável que admito que não estava a espera.

Nos dias de hoje este filme facilmente passaria sem censura, aliás depois de filmes como Serbian Movie/Hostel ou o Human Centipede acho que todas as portas foram abertas e não há mais espaço para tal censuras.

The House on the Edge of the Park é sem dúvida até ao momento o melhor nastie, mas a lista é longa, muitas surpresas ainda podem aparecer.

Próximo VN: Don’t go in the House

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s