Triple AAA(Asian Cinema)!

Assembly

Por regra geral nunca vejo um filme sem ler  a sua história, mas com este filme decidi fazer isso. A única referencia que tinha sobre o filme era “Saving Private Ryan” versão chinesa. Gostei do Ryan, não é uma obra prima mas é um bom filme de guerra logo decidi ver este sem mais nenhum conhecimento.
Mas para não acontecer o mesmo a outras pessoas deixo aqui a ideia do filme:

Tempo: Guerra Civil Chinesa
Tropas: Comunistas vs Nacionalistas
Cenário de Guerra: Hollywood Style
Actores: Maus e Artificiais

Podia ser assim resumido o filme, mas a história felizmente é um pouco mais complexa, seguimos o rumo de um sargento que combateu pelo lado comunista, que numa batalha final perde toda as suas tropas, mas ninguém tem conhecimento de essa batalha e muito menos que esse batalhão perdido lutou para defender a sua pátria, Logo nunca tiveram um verdadeiro enterro e devida admiração, e ai é que o nosso Sargento tenta até ao fim do filme para provar que dirigiu esse batalhão e que defendeu a pátria até ao seu último homem,e que eles merecem ser reconhecidos como heróis..

Infelizmente a componente dramática que tentam impingir ao filme é má, todas as representações parecem demasiado artificiais, e as cenas de guerra não acrescentam nada de novo ao que já vimos por ai em outros filmes.

Apanhei uma grande desilusão com este filme, também devido um pouco a minha culpa de ver sem saber o que falava o mesmo.

É caso para dizer “Avante Camarada” para um filme melhor.

Nota – 5/10

http://www.imdb.com/title/tt0881200/

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

Gongdong gyeongbi guyeok JSA

Existem filmes que a partida tem tudo para não desapontar, com realização de Chan-wook Park (dispensava apresentações mas tem Oldboy na sua história) e com o actor(que descobri recentemente no The man from nowhere) tinhamos tudo para ter um bom filme.
E a verdade é que não estamos perante nenhuma obra prima do cinema, mas a história original e só isso é meio caminho para um boa critica.
Começamos o filme com uma “massacre” na área não militarizada que separa a Coreia do Norte da Coreia do Sul, interessante ver esta rivalidade tão intensa que se vive nestes dois países. Para inventar qualquer confronto são chamados 2 países neutros para fazer a investigação recaindo a escolha para um soldado Sueco e uma tenente Suíça com raízes na Coreia pela parte do pai.
A história acaba por se desenvolver a um bom ritmo, fazendo ao inicio um pouco de flashbacks confusos, mas que se consegue apanhar bem quando o argumento começa a fluir.
Este filme dá-nos uma excelente lição humana, sobre o que um soldado sofre por vezes pela sua pátria sem nunca pedir explicações nem saber bem porque que odeia o inimigo.
Sem dúvida um must see no cinema asiático.

Nota: 7/10

http://www.imdb.com/title/tt0260991/

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

Hwanghae

Para fechar o ciclo que fiz de cinema asiático esta semana, deixei para o fim o filme que mais me deu prazer em ver. Realizado por Hong-jin Na que já tinha deixado uma exclente indicação no filme Chaser. Este filme gira a volta de um taxista que vive na miséria, tem dividas e foi abandonado pela mulher. Desesperado com esta situação recebe uma proposta tentadora para ir até a Coreia do Sul matar um homem, em troca de uma boa quantia, como não tem nada a perder e como tem pagar as suas dividas aceita sem pensar nas consequencias que pode vir a ter.
Um filme recheado de acção e violência em que se cria um tensão muito própria, chegando por vezes a dar por mim com o coração da boca na esperança que o nosso “anti-herói” se consiga safar de toda a conspiração que se envolveu.
Um filme cru com uma representação acima da média de Jung-woo Ha ficando só um pequeno amargo da boca por vezes os exageros de energia,força e resistencia que o vilão do filme tem,mas por outro lado os filmes servem mesmo para isto.
Fico entusiasmado por saber com o que nos vai brindar Hong-jin Na num futuro próximo, quando tal acontecer sem dúvida que serei um espectador na primeira fila.

Nota – 8.5/10

http://www.imdb.com/title/tt1230385/

God Bless America (2011)

Antes de colocar umas novas  reviews a uns  filmes asiáticos que vi na semana passada, deixo aqui uma pérola que tive a oportunidade de ver ontem.

Realizado e escrito pelo mítico “Zed” da Academia da Policia, e recomendado por um dos vocalistas que mais gosto do metal underground português, este filme tinha tudo para não falhar.

A história está cheia de clichés, temos Ted que vive sozinho pois a mulher divorciou-se dele, tem uns vizinhos irritantes, perde o emprego, descobre que tem um tumor no cérebro que vai morrer, etc etc. Uma das noites em que não consegue dormir, esta a ver o lixo televisivo que nos também tanto temos em Portugal, quando se preparava para o suicido tem uma ideia genial.. “Limpar a América dos clichés e do nojo que se tornou”.

No inicio da sua limpeza por essa América fora, conhece Roxy(Tara Lynne Barr) que tem aqui um papel genial,[espero que não caia na tentação de fazer carreira daqui para a frente em filmes de adolescentes ou Twilights].

Estamos perante um comédia bem estruturada que vai fazer delicias a essa malta que tanto gosta de “odiar a América” sem bem saber porque, e mesmo para quem não tem essa tendência da moda, ira sem dúvida soltar umas boas gargalhadas.

Se procuram uma boa comédia com, uns diálogos bem estruturados, com momentos “non-sense” e para dar umas boas gargalhadas com alguma violência a mistura não percam mais tempo, vejam este filme.

Nota – 8/10

http://www.imdb.com/title/tt1912398/

Taking out the trash, one jerk at a time.

 

Sexykiller, morirás por ella(2008)

Mais um filme de terror/comédia que vi recentemente, desta vez ao contrário do Dance of the Dead pensei para mim, vou soltar a minha costela de adolescente e tentar ver isto com esses olhos para perceber melhor a ideia do filme.

O cinema espanhol tem sido uma boa surpresa no que toca a filmes de terror,então fiquei curioso se ia conseguir fazer o mesmo na onda do cinema terror/comédia. Realizado por Miguel Martí que tem na carreira filmes mais virados para a comédia adolescente, fez com que a minhas expectativas se colocassem num espírito mais jovem/livre.

O filme conta-nos quase em forma de documentário na primeira pessoa a vida e os assassinatos que Barbára(Macarena Gómez) faz ao longo do filme.  Aproveita para fazer um pouco de gozo com os clichés dos filmes de terror.

Macarena Gómez tem uma representação que vale pelo filme, pois chegamos a uma parte do mesmo que até desejamos que ela continue a sua matança sem dó nem piedade.

Só os últimos 2om estragam totalmente o filme, não que tivéssemos perante nenhuma obra prima do cinema, mas estava a seguir um rumo engraçado que muda radicalmente para inserir o mais básico do cinema -Zombies- 😀

Como disse anteriormente se virem este filme, façam sem expectativas com o pensamento adolescente e certamente que irão gostar, se não estiverem com esse espírito nem vale a pena perder tempo com isso.

Quando terminei este filme recordei-me um que vi também a uns meses, que fazia uma espécie de documentário de horror “Behind the Mask: The Rise of Leslie Vernon”

Nota: 6/10

http://www.imdb.com/title/tt1056416/